O mau hálito, também denominado HALITOSE aflige a humanidade desde as gerações ancestrais. Atravessa a história, a cultura, as diferenças raciais e o sexo. Afeta desde os relacionamentos amorosos, familiares e profissionais, repercutindo na auto-estima e segurança de seu portador. No Brasil, 4 em cada 10 brasileiros têm mau hálito. Pelo fato de você não sentir o cheiro do seu próprio hálito (fadiga olfatória), pergunte para alguém de sua confiança se o seu hálito está desagradável.

O problema geralmente é produzido por bactérias que degradam substratos protéicos como os aminoácidos, gerando compostos
mal cheirosos denominados Compostos sulfurados voláteis (CSV) na cavidade bucal.

O mau hálito é comum ao acordar e depois de falar muito, sendo apenas preocupante se persistir após a higienização ou hidratação da boca. Portanto, não se constranja, você não está sozinho. Hoje já existe tratamento e mesmo nos casos mais severos o controle sempre é possível.

Veja aqui o fluxograma dos CSV

A primeira pergunta feita pelos pacientes que procuram o CEHAPE é de onde vem o cheiro desagradável que lhes provoca o mau hálito?

Um importante passo para o entendimento e tratamento das halitoses foi a identificação dos ODORIVETORES, que são grupos de substâncias capazes de difundirem-se pelo ar e que compõem o mau hálito.

Eles podem ser de três tipos:
• Compostos metabólicos sistémicos: são substâncias provenientes da circulação sanguínea que são eliminadas pelos pulmões.
Exemplo: Uréia; Amônia; Cetonas; Ácidos Graxos; Certos alimentos tais como; alho, cebola, etc e medicamentos de odor carregado.
• Compostos orgânicos voláteis (COV): originados da putrefação de matéria orgânica. Exemplo: Fenol; Indol; Escatol; Putrescina; Cadaverina
• Compostos sulfurados voláteis (CSV): produzidos pelo metabolismo bacteriano dentro da boca e que possuem cheiro de ovo choco, (sulfidreto); fezes (dimetilsulfeto); estábulo (metilmercaptana).
São os maiores responsáveis pelo mau hálito.

As causas do mau hálito são inúmeras, podendo haver mais de um tipo de odorivetor contribuindo para o mau hálito apresentado. Contudo, cerca de 90% dos casos apresenta origem bucal decorrente principalmente da saburra lingual, doença periodontal e alterações dos padrões salivares. O trato respiratório superior representa 8% dos casos e os de origem gastrointestinal 2%.

Situações de estresse, excesso de bebida alcoólica, fumo, dieta muito rica em proteínas e gordura podem contribuir para o mau hálito.

Outras causas para o mau hálito